Gastronomia e Cidades do Mundo

Os Novos Jantares de Natal (antes do oficial!)

Os Novos Jantares de Natal (antes do oficial!)

Até poderia ter intitulado este artigo como: “Jantar de Natal de amigos”, “Jantar com várias nacionalidades à mistura”, “Jantar natalício de descomprometidos” um sem fim de hipóteses.. Mas não teria a mesma piada, até porque algumas pessoas só conheci hoje, várias nacionalidades num jantar já é normal e descomprometimento não foi palavra de ordem.

Tudo começou por ser um almoço de Domingo que se alargou por várias horas à mesa, ao revés de um jantar regular a um Sábado à noite que sabemos que vai terminar passado pouco tempo. Num apartamento no centro de Lisboa, com uma vista esplêndida para o Rio Tejo e Ponte 25 de Abril, quando cheguei já o peru não grugulejava, uma vez que já estava deliciosamente assado e de cu espetado à espera da primeira facada.

A anfitriã regalou-nos com diversos acompanhamentos, como legumes salteados, abóbora, doce de arando,… sempre muito bem regado pelos melhores vinhos portugueses.

Nestes almoços ajantarados e avantajados penso sempre como é bom ter amigos que adoram comer e beber como eu, sem vergonha ou pudor. Amanhã é outro dia e até ao Natal acho que vou jejuar! Nem água bebo!!

Num encontro em que não se falou em profissões, contas bancárias, o último carro que comprámos, filhos, compras de Natal… as conversas em inglês e português andaram cruzadas entre viagens, comida e relacionamentos. Tal como referi no início, todos éramos descomprometidos…. em grande dose com os bens materiais, mas bastante comprometidos com a felicidade. Ninguém se auto proclamou de guru da felicidade com a fórmula perfeita para a atingir, mas todos sabiam como a conseguir à sua maneira. Inevitavelmente, todos tínhamos o bichinho das viagens e a inquietude de permanecer demasiados anos na mesma cidade. A junção de duas portuguesas (uma conimbricense, outra algarvia), um português (nortenho), uma belga, uma inglesa e um francês foi o mix perfeito para andarmos a navegar pelo Mundo em palavras. Já fiz algumas viagens e conheço quatro continentes mas eu sou uma menina neste grupo. Mas não descanso enquanto não conhecer o Mundo inteiro!

Entre colheradas e belos goles de vinho tinto, lá passámos para as sobremesas. Foi um misto de queijos – e suas bolachas, tostas e pão – com arroz doce da Bimby, passando pela doçaria comprada e maravilhosa, até aos licores caseiros e outras provas de bebidas brancas que fomos rodando e experimentando.

O corpinho e mente nesta altura já estavam bem mais quentes e as conversas sobre relacionamentos surgiram. Abordaram-se sites de encontros, falhanços no amor, pena por deixar a pessoa possivelmente certa, mas com momentos diferentes de vida, onde encontrar pessoas novas e interessantes ou somente como é bom estar solteiro/a e sem filhos.

Já sei que os filhos são a melhor coisa do Mundo e não há amor igual, já me disseram. Mas gosto cada vez mais de estar com os filhos dos outros e poder voltar a casa para descansar. Amo os filhos dos meus irmãos e dos meus amigos e um dia quem sabe terei o meu, adoptado muito provavelmente, mas neste momento sou tão feliz como estou! Sei que poucos me entendem, até porque poucos gostam da própria companhia, mas tentem uma vez na vida viajar para um país diferente, com língua diferente e verão se a vossa companhia é o suficiente. Quando somos felizes sozinhos, temos a capacidade natural de fazer os restantes felizes também. Bem, já estou a divagar na minha própria maionese!!

Este almoço foi bastante gratificante, onde em momento algum me senti sozinha ou excluída de qualquer conversa, até porque todos falavam a língua das viagens, comida, bebida… a minha linguagem.

Obrigada e Feliz Natal!



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *