Gastronomia e Cidades do Mundo

Mercado de Armação de Pêra, Algarve. Um mercado familiar.

Mercado de Armação de Pêra, Algarve. Um mercado familiar.

Regressar às origens e onde passamos anos e anos de férias, tem um gostinho especial e familiar. Já conhecemos os cantos à terra, já conhecemos os locais, recebem-nos com um sorriso e a pergunta do costume: “e os teus pais Dorinha, estão bem?”.

Aqui não envelheço, aqui serei sempre a Dorinha pequena que ía ao mercado com a mãe, porque sempre adorei ver tanta comida fresca e boa.

O primeiro mercado algarvio que vos mostro tinha que ser o de Armação de Pêra, onde o meu avô assentou arraiais e para minha felicidade actual comprou casas e terras. Tanto jeito que dá agora ter para onde vir no Algarve sem pagar nada. Apesar de ser Algarvia, vivi apenas os meus primeiros 3 meses de vida cá, sendo que só vinha cá nas “férias grandes” da escola. Mas serei sempre Algarvia e como muito orgulho!

O mercado abre cedo, como todos. Eu chego sempre por volta das 9h30 e por ter um carro do tamanho de uma ervilha, é raro não ter lugar à porta quase. Hoje foi o caso, não havia mais perto.

Comecei por dar uma espreitada no mercado de rua e começar a comparar preços para comprar no sítio mais barato e com qualidade.

Até me perco a olhar para a fruta, os legumes, os frutos-secos, os bolos algarvios, o pão… enfim, chego a parecer tolinha da felicidade que sinto em ver tanta coisa boa. Só falta aqui a minha Mami para poder partilhar.

No mercado de rua, que acontece todas as quartas-feiras e sábados de manhã, comprei ancores (1€/ kg), um ramo de coentros (0,50€), tomates chucha (1€/ kg), cebolas (0,80€/ kg) e bolos secos de mel (2,5€/saco). A média de preços não foi má, dado que são produtos com poucos ou nenhuns químicos e vindos das terras aqui próximas. Os bolos são feitos em Messines e adoro comer um de manhã com o café.

Ainda no mercado de rua, gosto muito de visitar sempre a mesma senhora das facas e comprar sempre 3… se eu comprar 3 de cada vez ela faz mais desconto (30€ as 3 facas)! São as facas que melhor cortam e eu estava  precisar de facas grandes e que cortassem mais que manteiga. Sou doida por canivetes e facas, mas têm que cortar..!

A senhora tenta vender sempre muitas, mas bem conversado, lá trago as 3 com um desconto de 10€, diz ela.

Entrando no mercado, temos os legumes e frutas também.

Mas, na altura das férias e dos turistas, aqui é sempre mais caro. Como se vê nas fotos, claro que as pessoas preferem comprar lá fora, onde há tudo mais barato, há mais confusão e mais variedade.

Dentro do mercado também existem as bancas de peixe, que eu adoro!

Por tradição e por a minha mãe ser amiga da D. Mimi (dona de uma das bancas), nem vejo os preços das bancas concorrentes. Vou sempre comprar à D. Mimi, até porque confio e posso ser chata a pedir o que quero: “dê dois cortes nas douradas, arranje os carapaus para grelhar, só quero 5 sardinhas” e por aí fora. É uma querida e faz tudo como eu gosto.

Comprei 2 douradas grandes de mar (11,50€), com um aspecto TÃO fresco, que daqui a bocado já as ponho no forno ou cozo.

Enquanto as douradas ficam na fila de espera do peixe para arranjar na D. Mimi, lá vou eu beber um café no Cantinho das Bifanas, dentro do mercado.

Este cantinho cheira sempre bem a bifanas. Adoro o cheiro, embora de manhã não as consiga comer. É bom para o pessoal que acorda muito cedo e vai trabalhar ou para quem ainda não dormiu e por lá passa. Se tiver falta de pão em casa, mesmo ao lado vendem e é bom também.

Depois de ir buscar o peixinho arranjado, ter bebido o meu café e ter comprado o que precisava para a salada e sobremesa, resta-me ir para casa arrumar tudo e dar uma volta até à praia.

Até ao próximo mercado!



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *