Gastronomia e Cidades do Mundo

“Há Pitéu” e muito bom serviço! Este restaurante no Bairro Alto nunca desilude.

“Há Pitéu” e muito bom serviço! Este restaurante no Bairro Alto nunca desilude.

No Bairro Alto os restaurantes inauguram-se, encerram portas, mas alguns mantêm-se durante os contratempos e sobrevivem aos impostos dos costas e coelhos da vida.

Descobri o Há Pitéu há uns meses, como por acaso. Era o único bar no Bairro Alto onde se conseguia entrar e beber qualquer coisa tranquilamente. 

Belas morangoskas que bebi. Com alguns dedos de conversa e mais uma morangoska ou outra, fiquei a saber que o bar também era restaurante. No mesmo mês fui experimentar e recentemente repeti a dose com amigos brasileiros.

O ambiente é muito tranquilo, entre estrangeiros e locais como eu, conversa-se sem grandes alaridos e degusta-se o que há de melhor.

O serviço é sempre simpático, embora já tenha ouvido falar do mau feitio da gerente. Já reparei que quando está com os azeites, fica de tromba. Eu não tenho queixa nenhuma, trata-me como se me conhecesse há anos e gosto bastante de falar com ela sobre todas as viagens que já fez.

Em relação à ementa, nunca me desiludiu. Nem a comida nem a bebida, normalmente aconselhada pela gerente.

As entradas são sempre apetitosas. Desde o habitual pão, queijo e azeitonas – mas tudo muito bom – passando por um belo chouriço assado ao balcão para delírio dos estrangeiros, até às cascas de batata doce que eu adoro.

Tudo tem um ar tosco, mas aprumado.

Após a degustação das entradas, acompanhadas com vinho branco fresco da marca Fado, seguimos para os principais.

Os pratos principais são uma delícia muito agradável. Tudo acompanhado com um vinho tinto bom (mas não óptimo), Fado outra vez, experimentei o bacalhau confitado, secretos de porco preto, pato confitado, polvo à lagareiro e naco de novilho na pedra.

Deviam ter vindo mais quentes para a mesa, mas ainda estavam a uma temperatura aceitável.

As sobremesas são um encanto. Muito bem confeccionadas e carinhosamente apresentadas.

Sinceramente, gostei de todas, cada uma diferente à sua maneira.

As sobremesas experimentadas:

Delícia de Abacate com mousse de lima: boa, pouco doce e diferente do habitual.

Glacée de morangos: boa, fresca e agradável.

Cheesecake de morango com calda de frutos vermelhos: maravilhoso!

Sericaia, doce conventual: bom, mas muito doce para mim.

Paixão de banana com sorbet de caramelo: bom só à primeira colherada, porque é demasiado doce.

Mousse de chocolate: esta mousse é caseira e bem feita. Gostei muito.

Tábua de queijos: adoro queijo no final da refeição, mas esta tábua podia ter mais uma variedade de queijo pelo menos.

Resumindo, para um grupo a comer e a beber bem, temos uma média de 40€/ pessoa. Achei um preço perfeitamente aceitável, dada a qualidade do espaço, serviço e comida.

 

P.S.: foto da fachada do restaurante tirada do site.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *